Bule Voador

Esses gays…

Autor: Tiago Angelo

Recentemente um dos meus melhores amigos me disse que é homossexual. Foi ótimo ser o primeiro a ficar sabendo e melhor ainda ver que ele decidiu se assumir. Ele ainda não contou para os pais, o que sem dúvida não é uma tarefa fácil, porém deu o primeiro (e mais importante) passo. Mas o assunto do texto não é esse, e sim algumas questões que isso suscitou.

Algumas pessoas disseram que já haviam notado certo“jeitinho” nesse meu amigo. Sobre esse tipo de estereótipo que eu gostaria de tratar (de forma breve e talvez um tanto quanto superficial).

Eu particularmente nunca tive opinião sobre a sua sexualidade, pois o tal jeitinho nem de longe é um bom indicativo de alguma coisa. Por vezes fui vítima dessa maneira de definir as pessoas e não raramente me perguntam se sou gay, pelo simples fato de cruzar as pernas (sim, só por isso!). Nunca fui do tipo que liga, muito menos que “tenta se defender”. Quando dizem que tal pessoa acha que sou gay por causa da minha postura dou de ombros. Certamente não faz o meu tipo me apresentar dizendo “Oi, meu nome é Tiago. Talvez você repare que algumas vezes eu cruzo as pernas, mas eu não sou gay, tá?”. No que depender de mim continuarei “sendo” pra muita gente.

A coisa fica pior quando homossexuais são retratados na TV de forma totalmente caricata, novela após novela ( O único papel em que eles eram moderados foi censurado) ou quando o ator que interpreta um homossexual diz que não gostaria que a TV reproduzisse um beijo gay por não querer que a filha visse uma cena dessas. Estupro no BBB é chamado de amor, cena bizarra na programação é conscientização, mas dois homens ou duas mulheres trocando afetos, ah não, ai é putaria. Assim meus filhos vão crescer pensando que ser homossexual é normal!

Não raramente escutamos pessoas que dizem não gostarem de gays por eles serem muito escandalosos e por serem sempre o centro das atenções. No entanto essas mesmas pessoas parecem ignorar todos os exemplos de falta de educação por parte de heterossexuais que vemos todos os dias.

“É hetero? Tudo bem, mas se for gay eu provo meu ponto”.

Tudo fica mais perigoso quando se forma a opinião de que todo gay é imoral, promíscuo, não respeita ninguém e da em cima de todo mundo. Muitos tentam justificar suas agressões partindo desse tipo de preconceito (e presunção). Segurar a força o braço de uma menina que passa na balada não tem problema. Estou sendo macho e marcando meu território. Um homossexual olhou pra mim na rua, ai o bicho pega! Onde já se viu tamanho desrespeito?! Beijar minha namorada no trem, o que há de errado? Se um homem abraça outro, ai ferrou.  Desse jeito eles traumatizam as crianças!

Tudo seria tão melhor se parássemos pra ouvir o que as pessoas têm a dizer e não recorrêssemos à definições simplistas como se fossem corretas. Conhecer pessoas individualmente costuma ser saudável, muito mais que fazer generalizações de qualquer tipo

Uma dica: provavelmente vocês cruzam com muitas pessoas todos os dias e nem se dão conta de que elas são homossexuais. Agora um segredo: sabia que a única característica que engloba todas elas é o simples fato de sentir atração por pessoas do mesmo sexo? Pois é, pois é, pois é…

Tiago Angelo