Bule Voador

Ame o próximo

Autor: Jacob da Silva Reis*
Editor: Tiago Angelo

“Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mateus 22, 35-38).

“Ame o próximo como a ti mesmo.”(Marcos 12, 31)

“Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei” (João 15, 12-14)

“Amai vossos inimigos, fazei o bem e emprestai sem esperar coisa alguma em troca.

Será grande a vossa recompensa, e sereis filhos do Altíssimo.” (Mateus 5, 44)

Esse é um dos mandamentos da bíblia que mais admiro. Estou convicto de que nossa sociedade, muito provavelmente, é baseada na empatia, um acordo social onde consideramos antiético fazer algo de ruim à outra pessoa. Esse tem sido nosso modus operandi, nosso processo evolutivo, desde quando vivíamos em cavernas. Depois, nem tanto tempo atrás, passamos a aceitar os negros e índios como seres humanos, passamos a aceitar, e então exigir, direitos igualitários para as mulheres. Já passou da hora de aceitarmos homossexuais como cidadãos respeitáveis em nossa sociedade.

Em artigo publicado pelo jornal EM TEMPO, no dia 27 de Abril, o Pastor da Igreja de Constantinópolis, Sr. Jorge Max, tenta sugerir que a homossexualidade não é natural e que o direito da Igreja de se proferir contra tal ato deve ser mantido, pois, segundo a bíblia, a homossexualidade é “abominável”. Esquece-se, porém, de que o Cristianismo também é abominável segundo diversas outras religiões, dentre elas a religião que mais cresce no mundo, o islamismo. Recentemente um cristão foi condenado à morte no Irã, somente por afirmar que segue o cristianismo. Eles, assim como o senhor, pastor Jorge Max, estão apenas seguindo suas escrituras sagradas. Claro, o senhor não está exterminando homossexuais, pelo menos assim espero, porém, imagine-se sendo diariamente reprimido, maltratado, chamado de aberração e presenciando amigos de mesma fé sendo alvos de violência por parte de fundamentalistas de outras crenças. Imagine alguns sendo mortos, inclusive. Como se sentiria? Gostaria de viver em uma nação assim? Lembrando ainda que o cristianismo, diferentemente da orientação sexual, é uma opção, uma escolha. Mas isso não importa, mesmo que apenas uma opção, deveria ser respeitada, assim como o seu direito de exercer a sua crença.

Acerca da lei anti-homofobia, ela pretende somente impedir que haja propagação de ódio a essa parcela da sociedade. Ela protege homossexuais assim como as leis antirracismo protegeram os negros, quando o racismo era patológico no Brasil. Apesar das controvérsias (o velho testamento não é, digamos, o melhor exemplo de um livro de paz e amor) a bíblia tem várias passagens com o objetivo de pregar o amor ao próximo. Há tempos já não mais apedrejamos adúlteros. É hora de nos concentrarmos nos ensinamentos de amor e construirmos uma sociedade mais acolhedora e menos discriminatória. Podemos viver em uma sociedade mais tolerante e menos tirana ao invés de nos tornarmos uma teocracia cristã, um Irã com cruzes. Ame o próximo, senhor pastor!

* Jacob da Silva Reis é diretor do Núcleo do Amazonas da Liga Humanista Secular do Brasil.

Tiago Angelo